Pastoral do Dízimo

dizimoPastoral do Dízimo: é o serviço organizado, em nível de comunidade e paróquia, para que o Dízimo seja compreendido em seu verdadeiro sentido, esteja bem organizado e dê os recursos financeiros necessários para o trabalho de evangelização.

A Pastoral do Dízimo tem dois tipos de metas.

O que é meta?

Meta é um “ponto” que a comunidade ou a paróquia quer atingir, num certo período de tempo, e que seja possível de ser atingido com o trabalho planejado e a participação de todos. As duas metas da Pastoral do Dízimo são: de educação e financeiras.

METAS DE EDUCAÇÃO

As metas de educação da Pastoral do Dízimo são duas. A primeira é ajudar os católicos, que já participam da comunidade e os que dela se aproximam, a perceberem e assumirem o Dízimo como sinal de gratidão a Deus, compromisso de fé e expressão de partilha e solidariedade, na certeza de que Deus é o Senhor da vida e dos bens. A segunda meta de educação do dízimo é ajudar os católicos a fazerem gestos de partilha, segundo suas condições de vida e de bens que Deus lhes proporciona, através de festas, promoções, campanhas etc. Estas iniciativas, organizadas de forma comunitária, educam para a partilha.

METAS FINANCEIRAS

A Pastoral do Dízimo também tem metas financeiras. Primeira meta financeira é reunir através do dízimo, oferecido pelos católicos, os recursos necessários para as despesas ordinárias da comunidade e da paróquia. O dinheiro de ofertas, festas e promoções destina se, regra geral, a despesas extraordinárias da comunidade e da paróquia.

O que são despesas ordinárias? São as despesas normais e fixas para manter os serviços da paróquia e comunidade (funcionários, secretaria, doméstica, côngrua, material, equipamentos de catequese e formação, carro, combustível, trabalho com os mais pobres…). Despesas extraordinárias são despesas com construções novas, grandes reformas, imprevistos ou ajudas a comunidades pobres para construírem seu local de encontros etc.

O Dízimo quer reunir os recursos necessários para as despesas ordinárias, previstas no orçamento paroquial. É a primeira meta financeira. É uma grande meta.

A segunda meta financeira é aumentar os recursos ordinários, fortificando o dízimo, para que a comunidade e a paróquia tenham condições de desenvolver melhor o trabalho de promoção dos pobres. Parte do Dízimo, conforme a Bíblia, deve ser destinado para a promoção dos pobres. Por isso é necessário aumentar os recursos do Dízimo e destinar parte deles ao serviço dos pobres.

A terceira meta financeira da Pastoral do Dízimo é conseguir mais recursos extraordinários para que a comunidade e a paróquia possam ajudar uma comunidade e/ou paróquia mais pobre (comunidade irmã), e ter melhores condições para a conservação do próprio patrimônio.

Recursos extraordinários são recursos advindos de festas, promoções, campanhas, rendimentos patrimoniais etc. As metas da Pastoral do dízimo e das ofertas não são pequenas. A comunidade e paróquia devem planejar, cada ano, para ver o que fazer para alcançar as metas financeiras do Dízimo de forma crescente. A comunidade e paróquia que não estabelece metas na Pastoral do Dízimo terá dificuldades em progredir na sua organização financeiro comunitária, de forma sólida.


ORGANIZAÇÃO DO DÍZIMO

Junto com o trabalho de fazer compreender as metas de educação e as metas financeiras do Dízimo, a Paróquia e Comunidade devem ter orientação clara e comum sobre a forma de organizar o Dízimo.

A boa organização do Dízimo exige uma equipe de Pastoral do dízimo em cada comunidade e uma Equipe Paroquial do Dízimo. O que deve fazer a Equipe de dízimo da comunidade? O que compete à Equipe Paroquial do Dízimo?

Primeiro destacamos o que compete às duas equipes (da comunidade e da paróquia), e depois identificamos as atribuições específicas de cada equipe em particular.